Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Forte piora do mercado de trabalho preocupa o governo

Ministro Miguel Rossetto reconheceu que os dados 'não são bons', mas diz que investimentos, sobretudo na construção civil, deverão ajudar a reverter o quadro negativo

Vinicius Neder, O Estado de S. Paulo

24 de março de 2016 | 19h31

RIO DE JANEIRO – Ao término de uma semana de más notícias para o mercado de trabalho, com forte aumento da taxa de desemprego e recorde de demissões em janeiro e fevereiro, o ministro do Trabalho, Emprego e Previdência, Miguel Rossetto, afirmou que o quadro preocupa o governo, mas demonstrou confiança numa melhora do cenário ao longo do ano. Segundo Rossetto, medidas do governo para ampliar investimentos, sobretudo na construção civil, deverão surtir efeito ainda em 2016.

“Os dados não são bons. Eles dão sequencia à realidade de 2015, que foi um ano muito difícil. Por isso, estamos trabalhando muito para que possamos, ainda em 2016, reverter essa curva e retomarmos o crescimento econômico e a geração de trabalho e emprego”, disse Rossetto, após participar, no Rio, de reunião sobre o trabalho nos Jogos Olímpicos de 2016.

Segundo o ministro, “várias iniciativas” estão sendo tomadas no sentido de retomar investimentos, sobretudo na construção civil. “A presidente Dilma prepara o anúncio do Minha Casa, Minha Vida 3”, disse Rossetto.

O ministro reconheceu que “dificuldades econômicas” têm relação com a crise política. “Por isso, temos trabalhado muito para que possamos rapidamente retirar da agenda política essa pauta irresponsável, que cria permanentemente crises políticas artificiais. Essa agenda em nada ajuda ao País”, disse.Rossetto afirmou que todos os países estão concentrados em estratégias para enfrentar as dificuldades econômicas , “que são mundiais”. “Temos de rapidamente recuperar a normalidade política no País, para concentrarmos todos os esforços nacionais numa estratégia de desenvolvimento econômico e geração de trabalho e emprego”, disse o ministro. 

Mais conteúdo sobre:
Miguel RossettoEmprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.