Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Fortis não deve tomar mais medidas para aumentar capital-jornal

As medidas tomadas pelo Fortis parareforçar suas finanças devem ser eficientes, disse neste sábadoo presidente do conselho supervisor do banco belga-holandês aodiário L'Echo. Quando perguntado se haveria uma possibilidade do anúnciode outras medidas, o presidente do conselho, Maurice Lippens,respondeu: "Normalmente, isso é o suficiente. Claro, se houverum retorno a 1929, então estaremos em uma esfera diferente." O Fortis levantou 1,5 bilhão de euros (2,36 bilhões dedólares) em ações nesta semana, como parte de um pacote parareforçar suas contas em mais de 8 bilhôes de euros. Lippens disse que o banco tem sido vítima de especuladorese imaginou quanto dinheiro certos fundos conseguem ganhar, semcitar nomes. "De todo modo, as medidas de quinta-feira foramcompletamente bem-sucedidas." Ele também apoiou o chefe-executivo do Fortis, Jean-PaulVotron. "Você não mata o capitão em uma tempestade," afirmou. A queda dos preços das ações do Fortis -- que sofreram umabaixa de mais de 40 por cento neste ano -- não tornou acompanhia um alvo de compra porque os outros bancos tambémestão passando por problemas, acrescentou Lippens. "As coisas devem ficar calmas por um ano e meio ou dois,"previu. Ele disse que não sabia se a autoridade de investimento daLíbia tinha comprado uma fatia da empresa durante as vendas dequinta-feira. Jean-Paul Servais, presidente da Comissão Bancária,Financeira e de Seguros belga (CBFA), disse ao L'Echo que oFortis não tem problemas de liquidez ou solvência nas suascontas. Ele afirmou que o anúncio do pacote do banco foi feitoem tempo oportuno e que os clientes não devem deixar acompanhia. (Por Huw Jones; Edição de Lincoln Feast)

REUTERS

28 de junho de 2008 | 10h54

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSFORTISCAPITAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.