Fórum reclama medidas para retorno dos investimentos

O Fórum Nacional da Indústria, formado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e 32 associações empresariais setoriais, divulgou hoje um documento em que cobra do governo medidas imediatas para evitar a recessão e viabilizar o retorno dos investimentos e reforçar a confiança na economia do País. As principais medidas defendidas pelo fórum são a aceleração do ritmo de queda da Selic ? a taxa básica de juros da economia ?, a redução imediata dos depósitos compulsórios ? parcela de recursos que os bancos devem recolher ao Banco Central ? e o corte da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP). Além disso, o fórum quer que o governo use recursos do FGTS, do FAT, da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) e do Orçamento da União para programas habitacionais e de infra-estrutura. No documento, a entidade cobra, ainda, maior rapidez na definição dos marcos regulatórios dos setores de energia elétrica e de saneamento básico. Segundo o presidente da CNI e coordenador do fórum, deputado Armando Monteiro Neto (PMDB-PE), uma medida importante é, também, "aperfeiçoar a coordenação das iniciativas governamentais para o setor produtivo, de modo a aumentar a eficácia e evitar a emissão de sinais contraditórios lesivos às decisões de investimentos". Ou seja, a indústria critica os desencontros da equipe de governo que, segundo Monteiro Neto, atrapalham os investimentos. O presidente da CNI disse, ainda, que todas as entidades integrantes do fórum apoiam inequivocamente a aprovação das reformas. "Apoiamos firmemente a reforma da Previdência, na formulação inicial da PEC-40", disse Monteiro Neto, para quem o governo também deveria utilizar sua "energia política" para aprovar a reforma tributária ainda este ano. O fórum, cujos integrantes se reuniram hoje de manhã, não recomendou níveis de cortes nem para a Selic, nem para a TJLP, mas defendeu a redução do compulsório para os mesmos níveis de julho do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.