Foxconn de Jundiaí tem ameaça de greve

Funcionários reclamam das condições de trabalho na fábrica terceirizada da Apple, onde, segundo representante do sindicato, falta até água

TATIANA FÁVARO, CAMPINAS, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2012 | 03h05

Funcionários da Foxconn em Jundiaí, interior de São Paulo, ameaçam entrar em greve na semana que vem caso a empresa não melhore as condições de trabalho da unidade recém-instalada no quilômetro 66 da Rodovia Anhanguera para produzir tablets da Apple.

De acordo com informações do Sindicato dos Metalúrgicos de Jundiaí e região, a "gota d'água" para aproximadamente 2,5 mil trabalhadores ocorreu na última sexta-feira, quando faltou água na empresa. O sindicato reivindica da Foxconn melhores condições de transporte e alimentação.

"No transporte, a distribuição é desorganizada, então faltam itinerários e sempre fica lotado. No restaurante, pedimos melhores acomodações, porque fica muito cheio. Agora, faltar água foi a gota d'água para intensificarmos cobrança por uma atenção ao mínimo conforto para os trabalhadores", afirmou o representante do sindicato, que preferiu não ser identificado para não "atrapalhar as negociações".

Condições. A assembleia de funcionários marcada para o próximo dia 3 será realizada em frente à empresa. "A fábrica está em processo de instalação, sabemos, mas é preciso dar atenção a algumas coisas básicas", disse o sindicalista.

Os funcionários começaram a ser treinados para trabalhar na Foxconn em outubro do ano passado. A expectativa da Prefeitura de Jundiaí é de que a nova planta no município abra 6 mil vagas de trabalho.

Em comunicado, a Foxconn disse que "reitera o seu compromisso em proporcionar condições de trabalho adequadas para todos os colaboradores".

Sobre os problemas apontados pelo sindicato, a empresa informou que: "A falta de água foi decorrente de um problema de abastecimento da região, e o assunto já foi tratado com a empresa responsável. O restaurante da unidade também passou por algumas obras de melhorias nesta semana e o projeto de expansão do local está em andamento. A Foxconn adequou as linhas de transporte fretado para atender a demanda".

A Foxconn fabrica iPads e iPhones na China e deve começar a fazer o tablet por aqui também num futuro próximo. Suas unidades na China têm um longo histórico de denúncias de más condições de trabalho, que levaram até mesmo a suicídios de trabalhadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.