Foxx compra empresa de saneamento Haztec

A Foxx Inova Ambiental assinou na segunda-feira um memorando de entendimentos para comprar a empresa de saneamento Haztec. A empresa faz parte da Foxx Holding, que tem entre os investidores o bilionário húngaro-americano George Soros. O valor do negócio pode chegar a R$ 800 milhões, incluindo as dívidas da empresa que serão assumidas pelo novo dono, disseram ao Estado fontes envolvidas na operação. A Foxx não confirmou o valor da aquisição.

MARINA GAZZONI, DAVID FRIEDLANDER, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2012 | 03h06

"A entrada da Foxx será acompanhada de uma substancial capitalização da empresa, visando a implementação de seu plano de negócios", disse a Foxx, em comunicado. A empresa pretende abrir uma nova linha de negócios para a Haztec com a implementação de tecnologias de conversão de resíduos sólidos em energia. O acordo prevê um processo de due diligence (auditoria nos dados financeiros da empresa) que durará cerca de 90 dias. Após a análise, os acionistas da Haztec poderão optar por vender ou converter suas ações em uma participação na empresa formada pela união das operações da Foxx com a Haztec.

A Haztec foi criada em 1999 e vendida em 2003 ao grupo Synthesis, do empresário Paulo Tupinambá e a fundos de investimento. A companhia é uma das líderes no setor de saneamento no Brasil, mas se endividou excessivamente após uma série de aquisições. Entre 2007 e 2009, a Haztec comprou sete empresas.

Os problemas financeiros fizeram Tupinambá perder o controle da Haztec para seus sócios - os fundos de investimento InfraBrasil e FIP Caixa Ambiental, administrados pelo Santander, e um fundo do Bradesco.

A Foxx Holding foi criada em 2008, por Ismar Machado Assaly, antigo dono da indústria de sardinhas Gomes da Costa, e Milton Pilão Júnior, da fabricante de equipamentos Pilão. Tem duas companhias: a Foxx Inova Ambiental, de tratamento de resíduos e geração de energia, e a Foxx Soluções Ambientais, de limpeza urbana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.