Fracasso do plano econômico pode detonar guerra civil

O senador justicialista Ramón Puerta, ex-presidente do Senado, declarou hoje que, apesar de não antever a renúncia do presidente Eduardo Duhalde, considera que um fracasso na condução do plano econômico adotado pelo governo atual poderia levar o país a uma possível situação de guerra civil.?Duhalde não terá o mesmo destino que Adolfo Rodríguez Sáa?, afirmou Puerta, referindo-se ao governador da Província de San Luís, que renunciou sob a pressão de panelaços antes de completar uma semana na Presidência da Argentina. ?Temos de encontrar uma saída entre todos porque, do contrário, não vejo outra alternativa que a guerra civil?, completou ele, que presidiu o país por um dia, como presidente do Senado. O consultor da área política, Oscar Raúl Cardoso, entretanto, pondera que a eventual queda de Duhalde somente aprofundaria o atual problema de governabilidade da Argentina. A hipótese de guerra civil é inconsistente, em seu ponto de vista, porque não há forças organizadas em conflito. O risco maior seria o de a crise política gerar um clima de ?violência massiva?, de caráter anárquico, cujo controle viria a ocorrer apenas sob um modelo autoritário.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.