Fracasso em negociações é sinal negativo na economia global

A suspensão das negociações da Rodada de Doha e o fracasso de seus principais negociadores comerciais para chegar a um acordo envia "um sinal negativo" para a evolução da economia global. A afirmação foi feita nesta segunda-feira pelo diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Pascal Lamy.Lamy pediu neste mesmo dia aos 149 países da OMC que, após o fracasso da última reunião entre os maiores parceiros comerciais, as negociações da agenda de Doha deviam "ser suspensas" e "abrir um período de reflexão", mas não disse quanto tempo pode durar.O diretor-geral da OMC ressaltou que, depois deste novo fracasso, os países têm que "enfrentar suas responsabilidades", e acrescentou que "as conseqüências econômicas não serão vistas imediatamente, mas em breve. Isso afetará o clima geopolítico global".Decepcionado com a suspensão, ele ressaltou que "agora é preciso refletir em casa. Cada um tem que refletir o que faz falta nesta negociação, que é o seguinte: pagar um pouco mais para ter um pouco menos".Hipocrisia "Isso tem que ser o resultado de um trabalho interior", disse, considerando que seria "hipócrita" pensar que, sem esse período de reflexão interna de cada país sobre o que estão dispostos a dar, haveria resultados.A Rodada de Doha, lançada em novembro de 2001 e que deveria ser concluída no final de 2004, tem o propósito de alcançar acordos consideráveis que tornem possível a liberalização do comércio agrícola, industrial e de serviços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.