Fraga: AL será afetada pelo crise econômica dos EUA

O ex-presidente do Banco Central e sócio da Gávea Investimentos, Armínio Fraga, acredita que a América Latina será afetada pela crise econômica originada nos Estados Unidos. Ele prevê que uma redução do crescimento mundial vai atingir os preços de matérias-primas (commodities), que têm dado boas condições à região. Para Fraga, haverá redução do ritmo econômico nos Estados Unidos e, provavelmente, isso ocorrerá também na Europa. Ele lembrou que a China está tentando reduzir o ritmo de expansão de sua economia por causa da inflação e do petróleo, que está acima de US$ 100 o barril.Em discurso em um evento do Instituto de Finanças Internacionais (IIF), no Rio, Fraga também afirmou que o banco central americano (Fed) tenta evitar uma recessão nos Estados Unidos. "Mas, é um cobertor curto. Temos que ficar bem juntinhos para enfrentar isso, o cobertor não dá para todo mundo", disse.O ex-presidente do BC disse que a economia mundial está em "alerta vermelho" e contou que os organizadores do evento lhe pediram "que não desse uma visão de pânico." Ele comentou também que a previsão do Fundo Monetário Internacional (FMI) para o crescimento da América Latina é de 4,3% em 2008, o que ele considera como uma taxa positiva, mas a mais baixa entre as regiões em desenvolvimento no mundo.Por outro lado, Fraga apresentou uma visão menos pessimista sobre o Brasil. De acordo com ele, o Brasil e o México "estão bastante bem". "O Brasil é o queridinho dos mercados financeiros". Segundo ele, o discurso do ministro da Fazenda, Guido Mantega, apresentando vários indicadores positivos, inclusive de responsabilidade fiscal e inflação, "representa uma mudança histórica.""Ver um membro do PT fazendo um discurso como o dele é uma fonte de estímulo para nós", afirmou. Ele disse ainda que "há um perigo na Venezuela". Entretanto, preferiu não detalhar sobre o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.