Fraga diz que Brasil não é o único com problemas

O presidente do Banco Central (BC) Armínio Fraga, disse nesta quarta-feira, após reuniões com o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Paul O´Neill, e com o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Horst Köhler, que confia em que o Brasil poderá contar com o apoio do governo norte-americano, independente de quem venha ser o próximo presidente.Fraga comentou que veio discutir com o presidente do Federal Reserve (o banco central dos EUA), Alan Greenspan, a situação do País e como a equipe econômica está administrando a turbulência atual do mercado. "Esse problema não é só nosso, mas não vim em missão de negociar alguma coisa", disse Fraga, ressaltando que ficou entusiasmado com o que ouviu.Indagado se veio negociar uma ampliação do apoio financeiro do FMI, Fraga disse que é sempre possível estender o crédito, mas não é o caso agora. "Eles (EUA e FMI) não querem algo diferente do que nós queremos", destacou.Fraga ainda disse que não tem procuração de nenhum partido ou candidato para negociar acordos de transição, como vem sendo divulgado pela imprensa. O presidente do BC também se encontrou com os principais assessores econômicos do presidente Bush, Lawrence Lindsay e Glenn Hubbard.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.