finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Fraga diz que política econômica de Lula é promissora

O ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga defendeu nesta tarde, durante audiência na CPI do Serasa, a política econômica adotada pelo governo Lula. "O caminho que estamos trilhando com o novo governo é promissor", disse. Ele concordou com a intenção do atual governo de retirar do de um futuro acordo com o FMI o cálculo do superávit primário as despesas das empresas estatais e assim abrir espaço para a expansão dos investimentos. "Conceitualmente, empresas independentes e com gestão profissionalizada poderiam não estar nas contas", afirmou. O ex-presidente do BC disse que, no futuro, o Brasil poderá adotar uma política fiscal semelhante à do Chile, onde o governo aproveita os momentos de maior crescimento para acumular superávits que serão utilizados para reduzir os efeitos de períodos de crise na economia.No depoimento, ele ouviu dos parlamentares questionamentos que não tinham ligação com o Banco Central, como por que o BC não fiscaliza o Serasa. Fraga disse que o Serasa não é da alçada do BC porque não é uma instituição financeira. Os deputados também quiseram saber por que o BC não fiscaliza a Federação das Associações de Bancos. Fraga respondeu que o BC fiscaliza os bancos, que fazem parte da Febraban, porque são instituições financeiras que captam recursos do público e emprestam recursos aos clientes, e explicou que a Febraban não é um banco.

Agencia Estado,

02 de setembro de 2003 | 19h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.