seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Fraga fala e mercado se acalma

Os mercados de câmbio e de títulos da dívida externa estão se recuperando em reação às declarações do presidente do Banco Central, segundo operadores ouvidos pela Agência Estado. Armínio Fraga disse neste início de tarde de sexta-feira, em evento em São Paulo, que o Tesouro tem caixa tranqüilo, algo em torno de R$ 50 bilhões, e que o BC divulgará mensalmente a recompra de títulos da dívida. Antes disso, esses mercados se estressaram por causa da fala do diretor do Tesouro dos Estados Unidos, Paul O´Neill, de que se oporá a nova ajuda do FMI ao Brasil, e do rebaixamento pela Fitch do rating dos bancos brasileiros de "BB-" para "B+". Em consequência, os investidores acentuaram as ordens de compra de dólar e de venda de papéis da dívida.Às 14h38 a taxa de risco Brasil atingiu 1.750 pontos base - mais alto desde 14 de janeiro de 1999, após a desvalorização do câmbio no País. Logo depois, o risco País cedia para 1.719 pontos base, informou o Sul América Investimentos. O C-bond também está desacelerando a queda e, há pouco, recuava 2,95%, cotado a 57,50 centavos de dólar, após cair 5,70%, a 55,875 centavos de dólar às 14h38. Há rumores no mercado de que o Banco Central pode ter comprado C-Bond a 55,50 centavos de dólar na tentativa de interromper a queda das cotações. Já o dólar comercial, que atingiu novo recorde do Real cotado a R$ 2,84, cedia também para R$ 2,805, alta de 1,26%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.