Fraga: redução do IOF diminui custo do crédito

O presidente do Banco Central, Armínio Fraga, admitiu ontem a possibilidade de redução no Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) incidente sobre as operações de crédito. Segundo ele, esta medida poderia ser tomada no futuro como forma de reduzir os problemas que encarecem os custos de intermediação financeira, para que os juros cobrados pelos bancos aos consumidores também fiquem mais baratos.Além de um IOF menor, o BC está estudando a possibilidade de redução de outros custos para os bancos, como a CPMF, a obrigatoriedade de provisionamento de crédito, os depósitos compulsórios e os direcionamentos obrigatórios de crédito, como os voltados para a agricultura e habitação. No final de novembro, o diretor de Política Monetária do BC, Luiz Fernando Figueiredo, admitiu que a implementação dessas medidas depende da conclusão de estudos. A redução do IOF nas operações com pessoas físicas de 6% para 1,5% foi uma das medidas tomadas em outubro de 1999 para se tentar reduzir o juro e spread (a diferença entre custo do empréstimo e da captação) para os clientes dos bancos.

Agencia Estado,

13 de dezembro de 2000 | 16h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.