Fraga teve momentos de irritação na entrevista

A entrevista do presidente do Banco Central, Armínio Fraga, nesta quarta-feira, teve momentos de tensão. Como para vários jornalistas a exposição inicial de Fraga soou como um discurso em favor do candidato do governo, José Serra, houve seguidas perguntas para esclarecer a posição do dirigente do BC, o que o levou a se irritar, em alguns momentos.Veja abaixo trechos da entrevista:Fraga ? Mas... Vocês estão atirando no mensageiro.Jornalista ? Mas, hoje, o senhor é o mensageiro de quem, do presidente?Fraga ? Eu sou o mensageiro do que eu vejo e do que capto das empresas, das pessoas com quem eu converso na rua, da área acadêmica, financeira, política.Jornalista ? Mas 70% das pessoas votaram para a oposição. O senhor ouviu esses 70% da sociedade? (...) A impressão é que o senhor ouviu os outros 23%, os que votaram no governo.Fraga ? Não é verdade. Eu converso com muita gente que não é do mercado, pessoas que trabalham no setor real, pessoas que são pobres, de classe média. (...) Eu não acredito que, no País, está tudo errado ? que foi esse o clima da campanha até as eleições de domingo ?, eu acredito que esse é um erro de diagnóstico e precisa ser corrigido. (...)Jornalista ? Quando o senhor critica as pessoas que dizem que está tudo errado, isso é entendido como uma defesa do candidato do governo. Isso não foge do escopo da sua atuação no Banco Central?Fraga ? Eu absolutamente rejeito essa crítica, a repilo. O que tem sido dito sobre os meus pronunciamentos é o oposto. Quando saio do Brasil e faço discursos dizendo que, independente de quem ganhe as eleições, o Brasil vai manter seu rumo, o que se diz é que estou fazendo a defesa da oposição.Jornalista ? Mas o senhor está criticando as pessoas que defendem a mudança.Fraga ? Não foi exatamente assim que coloquei. O que eu disse é que precisamos tomar cuidado para não embarcar nesse discurso de que tem de mudar tudo, porque existe muita coisa boa que não deve ser mudada. Jornalista ? Mas quando o senhor diz para não embarcarmos nesse discurso só pode ser o do candidato Lula, porque o Serra... Três dias depois de encerrado o primeiro turno, o senhor convoca uma entrevista para criticar quem defende as mudanças, isso não é percebido como a defesa de um candidato que já até falou que manterá o senhor no Banco Central?Fraga ? Não, não. Eu não estou em campanha. Ao contrário. Vocês é que estão com interpretação enviesada.Jornalista ? Mas o senhor disse que houve um erro de diagnóstico no resultado das urnas do primeiro turno.Fraga ? Não, não disse nada disso. Não ponha palavras na minha boca.

Agencia Estado,

09 de outubro de 2002 | 22h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.