França acusa Kia e Hyundai por dumping

O governo francês acusou as montadoras sul-coreanas Kia e Hyundai por concorrência desleal na venda de carros na França, aumentando as importações no país, enquanto as vendas de marcas locais seguem em queda.

AE, Agencia Estado

25 de agosto de 2012 | 20h42

Discursando durante a convenção anual do Partido Socialista Francês, o ministro da indústria, Arnaud Montebourg, disse que as duas montadoras estão competindo em níveis inaceitáveis de dumping contra a indústria francesa.

Em maio passou a valer um acordo de livre comércio entre a Coreia do Sul e a França, assinado em 2011. No início deste mês, o ministro Montebourg emitiu uma declaração dizendo que as importações de carros sul-coreanos haviam crescido 50% em janeiro e fevereiro de 2012 na comparação com o mesmo período do ano passado. Segundo o ministro, este aumento se deu principalmente em carros menores, movidos a diesel, um nicho onde os franceses eram tradicionalmente fortes.

Montebourg disse que é preciso que a União Europeia olhe urgentemente para os aumentos súbitos de importações a fim de tomar uma "nova medida" para os setores sensíveis, como o automotivo.

Segundo dados da Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis (ACEA), Hyundai e a Kia venderam 391.511 carros na União Europeia só no primeiro semestre deste ano, representando um aumento de 17% em relação ao mesmo período do ano anterior. As duas marcas juntas aumentaram seu market share em 5,9% na primeira metade do ano, ante 4,7% no mesmo período de 2011.

Os dados da Associação Francesa de Montadoras (CCFA) mostram que a produção automobilística da França caiu 17% nos primeiros sete meses deste ano. Em relação ao mesmo período de 2011, as vendas da Hyundai cresceram 30%. Neste mesmo período, as vendas das francesas Peugeot e Renault caíram 20% e 17%, respectivamente.

As quedas de vendas das montadoras francesas também se explicam pela crise econômica no continente, que fez reduzir as vendas nos países da Europa Ocidental. Nos últimos meses a Peugeot anunciou cortes de gastos, demissões em massa e o fechamento de uma fábrica em Aulnay, ao norte de Paris. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaKiaHyundaidumping

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.