Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

França afirma que governo atendeu reivindicações de caminhoneiros

Governador de São Paulo disse que a categoria estava sendo explorada

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2018 | 09h47

SÃO PAULO - O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), afirmou nesta segunda-feira, 28, que o governo atendeu as reivindicações dos caminhoneiros.

Em entrevista à Rádio Eldorado, Márcio França disse que às 7h desta segunda-feira havia manifestações de caminhoneiros em 33 pontos nas rodovias concedidas no Estado de São Paulo.

+++ Greve de caminhoneiros entra na 2ª semana

"Há um acordo desde sábado e os caminhoneiros estão em acostamento, canteiros, gramados, postos, sem obstruir as pistas. Os caminhoneiros estão cumprindo aquilo que combinaram com a gente", explicou o governador.

No sábado, 26, o governador Márcio França anunciou a suspensão da cobrança de tarifa do eixo suspenso em todas as praças de pedágio paulistas, a partir da zero hora da próxima quinta-feira,31, conforme novo acordo.

+++ Petroleiros convocam dia de mobilização nesta segunda-feira

Neste domingo, o governo federal publicou, em edição extra do Diário Oficial da União, as três medidas provisórias (MPs) para atender a novos pedidos dos caminhoneiros.

Para tentar pôr fim à paralisação, que completou neste domingo uma semana de greve, o presidente Michel Temer cedeu e reduziu em R$ 0,46 o valor do diesel, com corte em tributos como a Cide e o PIS/Cofins. 

+++ Sincopetro diz que não sabe de onde vem a gasolina que abastece postos de SP

O governador de São Paulo avaliou como difícil o posicionamento do governo federal em relação a paralisação dos caminhoneiros. " Eu compreendo que o governo atendeu de algum jeito, não importa quem é o pai da criança. Não existe movimento que se sustente se não houver algum tipo de verdade muito forte com eles (caminhoneiros) e a verdade é que eles estavam sendo explorados.", disse França.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.