França cobra regras claras para investir no Brasil

O ministro de Economia da França, Francis Mer, disse nesta quarta-feira, em reunião com 150 empresários e executivos de multinacionais na Câmara de Comércio Brasil-França, na capital paulista, que o Brasil precisa estabelecer "regras de jogo claras para ser mais atrativo" aos investidores franceses. Segundo ele, as regras não servem apenas para os países ocidentais, mas para todos. "O que a administração (do presidente Luiz Inácio Lula da Silva) precisa é consolidar a estabilidade (econômica) para melhorar a relação entre os países e para que amanhã a imagem do País seja mais estável e mais firme e possa, com isso, convencer os investidores de que o Brasil é um belo país também em termos econômicos e comerciais", disse. Ao se referir à reunião ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), que será realizada em Cancún em setembro, Mer disse que os países-membros (146) estão neste momento em situação menos desconfortável do que antes, principalmente depois que a União Européia aprovou a reforma de sua Política Agrícola Comum (PAC). "Temos expectativas de que Cancún vai permitir um movimento mais aberto", disse. O ministro disse ter notado no debate da questão agrícola - interesse do Brasil, principalmente - a ausência do item "valor agregado". De acordo com ele, o País tem se caracterizado em produzir e exportar produtos primários, mas sem agregar valor. "O que a França e a Alemanha podem fazer é ajudar a desenvolver e descobrir valor na matéria-prima que o Brasil produz", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.