França dá aprovação inicial ao pacto fiscal da UE

O governo do presidente francês François Hollande deu início à ratificação nesta quarta-feira do pacto de disciplina orçamentária da União Europeia (UE), o qual o país aceita com relutância como o próximo passo para sair da crise da zona do euro.

Reuters

19 de setembro de 2012 | 12h43

O gabinete do primeiro-ministro, Jean-Marc Ayrault, deu a aprovação inicial ao compacto fiscal acertado em março pelo antecessor de Hollande, Nicolas Sarkozy, e outros 24 líderes europeus, o qual exige que os países da zona do euro cortem seus déficits públicos ou enfrentem sanções, como multas.

O sinal verde do gabinete abre caminho para a ratificação oficial do Parlamento no mês que vem, apesar de uma dissidência barulhenta dentro da coalizão de Hollande e do crescente descontentamento do povo com a União Europeia. Com o desemprego no maior nível em 13 anos, os eleitores franceses estão hostis com as perspectivas de mais austeridade.

Reconhecendo as reservas de muitos legisladores da ala esquerdista, Ayrault apelou aos socialistas e ao seus aliados parlamentares para apoiarem a lei e poupar o governo do constrangimento de depender do partido conservador UMP de Sarkozy.

"Ainda há hesitação e aqueles que estão hostis ... Meu objetivo, e o do governo, é convencer o maior número possível", disse Ayrault em entrevista.

"A aprovação do Parlamento, a qual eu espero que seja massiva, dará ainda mais força à voz do presidente nas negociações europeias", emendou.

(Reportagem de John Irish e Elizabeth Pineau; reportagem adicional de Catherine Bremer, Emmanuel Jarry, Yves Clarisse e Marc Joanny)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROFRANCAPACTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.