França nega ter sido informada sobre segundo inseticida em ovos

França nega ter sido informada sobre segundo inseticida em ovos

União Europeia vive crise há duas semanas após confirmação de que 17 países receberam ovos contaminados de Bélgica e Holanda

AFP

24 Agosto 2017 | 19h46

As autoridades francesas afirmaram que não foram informadas pela Comissão Europeia sobre a possível presença de um segundo inseticida, o Amitraz, em produtos derivados de ovos oriundos da Holanda e da Bélgica. Faz duas semanas que a União Europeia está em crise após oficiais do bloco confirmarem que 17 países relataram ter recebido da Holanda e da Bélgica ovos ou produtos com ovos contaminados pelo inseticida Fipronil.

"Os serviços oficiais franceses não receberam nenhum alerta do Serviço de Alerta Rápido sobre Comida e Alimentação (RASFF, na sigla em inglês) que avisasse sobre o envio de produtos com Amitraz vindos de outros Estados membros", disse um porta-voz do Ministério da Agricultura francês à AFP.

O governo holandês revelou nesta quarta-feira, 23, que a empresa Chickfriend, implicada no caso de Fipronil, utilizou um segundo inseticida "moderadamente tóxico". Trata-se do Amitraz, um pesticida destinado ao uso agrícola para matar moscas, segundo a carta que um dos ministros do governo holandês enviou ao parlamento do país.

O Ministério da Agricultura da França lembrou que os serviços departamentais receberam em 8 de agosto ordens para investigar os criadouros de galinhas e verificar se algum dos produtos antiparasitários com Fipronil, que causaram a contaminação na Bélgica e na Holanda, foram utilizados em território francês.

"Entre os 2.900 criadouros franceses analisados, 2.200 afirmaram não ter utilizado esses produtos. Essa informação foi confirmada por 350 inspeções", afirmou o ministério.

Mais conteúdo sobre:
Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.