França negocia com bancos para manter financiamento à Petroplus

Empresa surpreendeu os mercados ao anunciar ontem que teve uma linha de financiamento de US$ 1 bilhão congelada pelos bancos

Andréia Lago, da Agência Estado,

28 de dezembro de 2011 | 15h42

LONDRES - O governo da França anunciou nesta quarta-feira, 28, que está negociando com bancos uma forma de ajudar a refinaria Petroplus a manter suas atividades, e que está disposto a financiar a empresa no contexto de um acordo global.

A Petroplus é a maior refinaria independente e atacadista de produtos de petróleo da Europa. A empresa surpreendeu os mercados ao anunciar, ontem (27), que teve uma linha de financiamento de US$ 1 bilhão congelada pelos bancos. Atualmente a companhia controla e opera cinco refinarias no continente, que têm uma capacidade combinada de aproximadamente 667 mil barris por dia. O anúncio ressalta os novos problemas que o credit crunch está impondo às empresas europeias.

Traders e analistas europeus alertaram hoje que os preços da gasolina, diesel e outros produtos refinados poderão subir na região se refinadoras europeias, como a Petroplus, reduzirem sua produção devido à falta de crédito no sistema bancário. Segundo eles, a Petroplus poderá ter de cortar sua produção em questão de dias em algumas de suas refinarias se não puder financiar a compra de petróleo bruto nos volumes atuais.

Desde agosto, a Petroplus viu sua capitalização de mercado encolher mais de 80%, após a empresa registrar vários trimestres de perdas. Hoje, as ações da companhia recuavam 6%, depois de perderem 46% nos negócios de ontem na Bolsa de Zurique. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaPetroplusfinanciamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.