França pode crescer 1% em 2013 com reformas, diz BC do país

A economia da França deve ser capaz de crescer pelo menos 1 por cento no próximo ano se o governo avançar com os planos de redução de déficit e reformas, afirmou o presidente do banco central do país, Christian Noyer.

Reuters

20 de julho de 2012 | 13h28

"Estamos em uma forte desaceleração na Europa", disse Noyer à rádio Europe 1, acrescentando que o presidente francês, François Hollande, tem que continuar reduzindo o déficit orçamentário para garantir que os custos de empréstimo permaneçam baixos.

"Eu considero que crescimento de 1 por cento deve ser possível (em 2013), pelo menos 1 por cento", disse ele.

"O que o governo pode fazer é adotar uma reforma do custo de trabalho (...)", completou Noyer. "Precisamos encontrar outros recursos."

Noyer, membro do conselho do Banco Central Europeu (BCE), também pediu que os governos da zona do euro avancem rapidamente com a implementação de novas regras e medidas fiscais para uma supervisão bancária comum.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROFRANCARBCREFORMAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.