França pode não alcançar metas de redução do déficit

O órgão de auditoria do governo da França alertou que o país corre o risco de não alcançar as metas de redução do déficit e afirmou que a administração de François Hollande está excessivamente otimista com o impacto de algumas medidas de corte de custos e que as projeções de receita fiscal são muito altas. "A estimativa de redução do déficit ainda é incerta", disse o órgão em relatório anual.

Agencia Estado

11 de fevereiro de 2014 | 10h29

O governo de Hollande tem um histórico ruim com relação à redução do déficit. Em dezembro de 2012 a França previu que em 2013 cumpriria as regras da União Europeia que determinam um déficit abaixo de 3% do Produto Interno Bruto (PIB), mas essa meta acabou posteriormente sendo adiada para 2015.

Segundo o auditor do governo, a meta de 2013 não foi alcançada em parte porque o crescimento econômico decepcionou, mas também porque o governo foi otimista demais com relação a quanto poderia obter com elevações de impostos. A França corre o risco de repetir o mesmo erro neste ano e as receitas fiscais podem ficar de 2 bilhões de euros a 4 bilhões de euros abaixo do esperado, afirmou o órgão.

Em uma carta de resposta ao auditor, o ministro de Finanças da França, Pierre Moscovici, defendeu as projeções de receita do governo, dizendo que ela tende a subir mais rapidamente do que o crescimento em períodos de recuperação econômica. Com relação aos gastos, o ministro disse que Hollande lançou um conselho estratégico para aprofundar os cortes nos próximos anos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Françadéficitmetaredução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.