Francês acusado de fraude bilionária deve sair da prisão

Um tribunal francês ordenou a libertação do operador do banco francês Société Générale acusado de uma fraude de quase 5 bilhões de euros em contratos derivativos. Jérôme Kerviel deve deixar a cadeia de La Sante, em Paris, no final do dia. Ele estava detido desde 8 de fevereiro, em razão da investigação pendente. O porta-voz dos advogados de Kerviel, Christophe Reille, não deu mais detalhes sobre a decisão de libertação do funcionário.Procuradores afirmavam que queriam manter Kerviel na prisão para evitar que ele se comunicasse com seus eventuais cúmplices nas operações. Kerviel, no entanto, continua argumentando que agiu individualmente. Os advogados do operador afirmaram que ele está cooperando com as investigações e não deseja fugir da França e que a sua libertação não afetaria a condução das investigações.O Société Générale não questionou a decisão. Segundo o advogado do banco, Jean Veil, a decisão foi equilibrada, o que garantirá uma investigação segura e tranqüila. Ele observou que haverá uma vigilância judicial restritiva. Kerviel teve seu passaporte e documento de identidade retidos para que não possa deixar a região de Paris. Ele também não poderá se encontrar com determinadas pessoas, segundo fontes do Judiciário, mas os nomes não foram revelados.Kerviel está sob investigação por suposto envolvimento em arriscadas transações de vários anos que teriam causado prejuízo de 4,9 bilhões de euros (US$ 7,2 bilhões) ao banco. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.