Francisco Valim será presidente da Viavarejo

A Viavarejo, empresa do Grupo Pão de Açúcar (GPA), comunicou a indicação de Francisco Valim, ex-presidente da Oi, para a posição de diretor presidente da rede que reúne Casas Bahia e Pontofrio. O nome será submetido à aprovação do Conselho de Administração da companhia no dia 23 de agosto.

DAYANNE SOUSA, Agencia Estado

17 de agosto de 2013 | 09h09

Valim, de 49 anos, foi presidente da operadora Oi até janeiro. Anteriormente, o executivo fora presidente na Serasa Experian e na NET. Ele é formado em administração pela UFRGS, tem MBA pela University of Southern California e especialização em finanças pela FGV.

Vitor Fagá, que há três meses ocupa interinamente a presidência da Viavarejo, continuará à frente da vice-presidência financeira e de relações com investidores. "A contratação do CEO (presidente) permitirá a continuidade dos avanços alcançados pela Viavarejo, decorrentes do processo de reestruturação em curso, e que já apresenta elevados níveis de melhorias, como os refletidos em aumento de eficiência, captura de sinergias e implementação de novos processos", informou a companhia. Tanto na Oi quanto na Viavarejo, as mudanças de comando foram marcadas por turbulências.

Na semana em que anunciou a saída de seu presidente, a Oi chegou a perder R$ 1,7 bilhão em valor de mercado. A destituição do executivo teria sido uma consequência de desentendimentos com acionistas controladores. O motivo seria um resultado abaixo das expectativas em 2012 e orçamentos inflados.

A Viavarejo estava sob o comando de Vitor Fagá desde março de 2013, quando Antonio Ramatis Rodrigues renunciou ao cargo por divergências com os controladores do Pão de Açúcar. A saída do executivo evidenciou, mais uma vez, o desentendimento entre Viavarejo e Pão de Açúcar, controlador da companhia com 52,4% das ações. Na carta de demissão, Ramatis Rodrigues alegou divergências de estratégia e interferências em seu trabalho. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.