Frango brasileiro será testado pela Europa

Toda a carne de frango brasileira desembarcada na Europa, ou seja, uma amostragem de 100% da carga, terá que passar pelo teste da presença do nitrofurano, um antibiótico proibido no Brasil desde maio deste ano.A decisão foi publicada no Diário Oficial da União Européia (UE) no dia 12 de outubro e significará a retenção do produto nos portos europeus por mais de três semanas, elevando assim os custos para os exportadores.Até agora, o teste era aplicado pela UE em uma amostra correspondente a apenas 3% da carga. Na última sexta-feira, o governo brasileiro tentou reverter a decisão, formalizando, através da missão em Bruxelas, a proposta de suspensão do registro de exportação de uma das empresas, que teria embarcado sua carga mesmo depois da proibição brasileira do uso do antibiótico.A sugestão da proposta foi dada pela própria Comissão Européia, na ocasião em que o comitê permanente da cadeia alimentar e saúde animal da União Européia (UE) aprovou, no dia 20 de setembro, a obrigatoriedade do teste de nitrofurano para toda a carga brasileira.A proposta ainda será avaliada pelo comitê da cadeia alimentar.A idéia não foi bem recebida, a princípio, porque poderia representar um "mea culpa". O Brasil alegou que a carga teria sido embarcada em abril, no mês anterior à proibição do nitrofurano no País.A decisão comunitária de reavaliar as regras do teste aplicado nas cargas de frango brasileiras foi tomada depois do último controle, do dia 25 de julho, quando técnicos da UE detectaram a presença do nitrofurano, apesar de este já estar proibido no Brasil.A disputa do nitrofurano com a UE começou no primeiro semestre, quando três lotes de frango brasileiro com resíduos do antibiótico foram apreendidos na Irlanda do Norte e na Holanda.O governo brasileiro alegou que o nitrofurano só pôde ser detectado porque a UE aumentou, sem aviso prévio, o rigor dos testes aplicados nos produtos importados. Mesmo assim, para não atrapalhar as vendas para um de seus principais clientes, o País alterou suas regras internas, proibindo integralmente o uso do antibiótico, que era permitido, até então, em níveis controlados.Em 2001, o Brasil se posicionou no ranking mundial como o segundo exportador de carne de frango, com uma fatia do mercado internacional de 18%. Na UE, os maiores importadores do filé de frango brasileiro são Reino Unido, Holanda e Alemanha - esta última é responsável por mais da metade das compras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.