Franquia ''made in Brazil'' avança em novos mercados

Exportação de franquias nacionais cresce em número de marcas e países

Marianna Aragão, O Estadao de S.Paulo

24 de junho de 2008 | 00h00

As marcas nacionais de franquias estão acelerando sua internacionalização. Nos últimos dois anos, a exportação das franquias brasileiras cresceu em número de marcas e diversidade de destinos. Atualmente, são 52 marcas com DNA brasileiro atuando em 39 países, contra 35 marcas em 2006 - uma expansão de quase 50%. Até o fim deste ano, o total de marcas deve chegar a 60. "O País conquistou uma posição importante no mercado mundial. Isso abre portas para quem quer levar sua marca para o exterior", diz o diretor-executivo da Associação Brasileira de Franchising (ABF), Ricardo Camargo. O mercado de franquias brasileiro já é o quarto maior do mundo em número de marcas. Cresceu 15,6% em 2007, movimentando R$ 46 bilhões. Especialistas também apontam a diminuição no custo do crédito para investimento, a abertura comercial de alguns países e o crescimento da economia dos emergentes como fatores que atraíram os empresários brasileiros de franchising. "Ele está descobrindo novos destinos", diz a consultora Claudia Bittencourt, especialista no mercado de franquias e em expansão de marcas. Estados Unidos e Portugal, tradicionais escolhas de empresários que querem internacionalizar suas franquias, passaram a dividir as atenções com mercados em expansão como México, Angola e Emirados Árabes. A Sapataria do Futuro, rede de serviços de reparação de calçados, decidiu que era hora de cruzar as fronteiras do País em 2006. Depois de um ciclo de expansão que fez a empresa atingir 188 unidades pelo Brasil, os empresários viram que não havia mais muito espaço para crescer internamente."Operando no exterior, ainda poderíamos diversificar o risco do negócio e ganhar competência", justifica Paulo Cesar Mauro, diretor-presidente da Golden Services, holding que administra a franquia.O destino escolhido para começar a internacionalização foi o México, onde a primeira loja foi aberta em janeiro de 2007. Hoje, já são duas unidades no país. "É uma economia que cresce muito, como a brasileira, com o diferencial que não há forte concorrência no tipo de serviço que oferecemos", diz Mauro. Além do México, Angola e Colômbia receberão franquias da rede até o fim de 2008. O objetivo é que a operação internacional represente 10% do faturamento da companhia em alguns anos.Outra empresa que optou por um mercado alternativo para iniciar a internacionalização foi a rede Green, de vestuário e acessórios infantis. Três franquias internacionais da marca foram abertas na Arábia Saudita (há uma quarta em Angola). "Tínhamos um tradicional comprador árabe que soube dos nossos planos e quis abrir uma loja lá", conta a sócia Márcia Oura Missako. A distância e as diferenças culturais - foi preciso retirar algumas peças da coleção, a exemplo das que levavam estampas de animais sagrados para os muçulmanos, como o porco - não assustaram a empresária. Isso porque, segundo Márcia, o franqueador que assumiu a marca na Arábia tinha experiência no mercado de varejo local e uma clientela formada. "Sabíamos de sua competência."Segundo a consultora Melitha Novoa Prado, especialista no setor de franchising, essa preocupação nem sempre é seguida pelo empreendedor que prepara sua expansão internacional. "Quando se vai para o exterior, se faz ainda mais necessário conhecer a posição do futuro parceiro no mercado local. Tudo tem de ser muito investigado." Caso contrário, em vez de crescimento, a aventura pode se transformar em prejuízo para um negócio até então saudável.FEIRADe olho na movimentação dos franqueadores brasileiros, 18 delegações estrangeiras estão no País essa semana para participar da feira anual da ABF, que começa amanhã. A iniciativa faz parte de um programa de estímulo à internacionalização posto em prática pela entidade a partir de 2006, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (Apex). Cerca de R$ 3 milhões estão sendo investidos em reuniões com países-alvo, missões comerciais e participação de franquias brasileiras em feiras no exterior. RANKINGPaíses com franquias brasileirasPortugal 29EUA 17Angola 12Paraguai 11México 10Espanha 7Chile 7

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.