carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Fraude bilionária nos EUA atinge bancos do mundo inteiro

Esquema, que teria sido montado por Bernard Madoff, ex-presidente da Nasdaq, gerou perdas de US$ 50 bi

Da BBC Brasil, BBC

15 de dezembro de 2008 | 12h42

Alguns dos maiores bancos do mundo revelaram ter sido vítima de um esquema de fraudes multimilionárias que resultou em perdas de US$ 50 bilhões. Entre os bancos prejudicados pelo esquema de fraude - semelhante ao esquema da "pirâmide" -, estão o britânico RBS, o espanhol Santander e o francês BNP Paribas. O esquema, que está sendo descrito como um dos maiores casos do tipo, teria sido montado por Bernard Madoff, dono de um fundo de investimentos e ex-presidente da Nasdaq, a principal bolsa de Nova York em que são negociadas ações de empresas de alta tecnologia. Ele é acusado de ter prometido ganhos volumosos, pagando investidores mais antigos com o dinheiro investido por novos clientes.   Madoff foi preso na última quinta-feira, depois de ter confessado a três empregados que estava "terminado" e "não tinha absolutamente nada". Uma das administradoras de fundo mais conhecidas no distrito financeiro londrino criticou os reguladores financeiros americanos por falharem em detectar a suposta fraude. 'Escândalo financeiro' Nicola Horlick, a chefe do Bramdean Investments, disse que os reguladores americanos "fracassaram em seu trabalho". "Acho que agora é muito difícil para as pessoas investirem em coisas que deveriam ser reguladas nos Estados Unidos, porque eles fracassaram em seu trabalho", disse Horlick. "Esse é o maior escândalo financeiro da história dos mercados - US$ 50 bilhões é uma quantidade enorme de dinheiro." Entre os bancos e instituições financeiras que tinham investimentos com Bernard Madoff estão:     O Royal Bank of Scotland (RBS), que anunciou nesta quarta-feira que potencialmente poderia perder cerca de US$ 606 milhões.   O maior banco da Espanha, o Santander, que tinha US$ 3,1 bi investidos com Madoff.   O BNP Paribas, que pode perder mais de US$ 460 milhões; o banco francês Natxixis, que pode perder até US$ 605 milhões.   O segundo maior banco da Espanha, o BBVA, que pode perder até US$ 400 milhões.   Um dos maiores grupos de investimento do mundo, Man, que tinha US$ 360 milhões investidos na empresa.   O banco japonês Nomura, que afirma que sua exposição é relativamente pequena, em cerca de US$ 304 milhões. Incerteza Analistas afirmam que o caso deve alimentar incertezas sobre toda a indústria de fundos hedge.  Os promotores americanos afirmam que Madoff planejou uma fraude de proporções massivas através de seu fundo hedge e de uma consultoria de investimentos. Um juiz federal apontou um auditor para avaliar os bens da empresa de Madoff e as contas de clientes. O banqueiro de 70 anos de idade foi libertado sob fiança de US$ 10 milhões. Madoff fundou a Bernard L Madoff Investments Securities em 1960, mas também administrava uma empresa de fundos hedge separadamente. Segundo a acusação apresentada pela promotoria, Madoff disse a pelo menos três funcionários na semana passada que sua empresa de fundos hedge - que contava com 25 clientes e administrava US$ 17,1 bilhão - era uma fraude e estava insolvente há anos. Se for considerado culpado, promotores americanos afirmam que ele poderá enfrentar até 20 anos de prisão e uma multa de até US$ 5 milhões.    BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.