Fraude no INSS de Alagoas supera R$ 200 mil

A Polícia Federal de Alagoas executa hoje a "Operação Bengala", para desbaratar uma quadrilha que fraudava o pagamento dos benefícios de aposentados pelo Instituto Nacional de Seguridade Nacional (INSS). Até o final da manhã, quatro pessoas foram presas.Cerca de 130 agentes federais participam da operação, cumprindo mandados de prisão, busca e apreensão em cidades do interior de Alagoas e em Maceió. As diligências foram deferidas pela 8ª Vara da Justiça Federal, a pedido do Ministério Público Federal e do Ministério da Previdência.Segundo a Polícia Federal, as buscas estão sendo realizadas em 28 locais diferentes, nas cidades de Arapiraca, Campo Alegre, Barra de São Miguel, São Miguel dos Campos, Feliz Deserto, Penedo, Junqueiro e Teotônio Vilela e no distrito de Ipioca, no litoral norte da capital.Entre os envolvidos no golpe, que passa de R$ 200 mil, há funcionários dos Correios, do INSS e de cartórios de registro de nascimento. A PF chegou aos nomes dos suspeitos investigando informações de uma força-tarefa do Ministério da Previdência Social e do MPF. Os presos ficarão na carceragem da PF em Maceió.O delegado Sandro Santos, da assessoria de imprensa da PF, informou que divulgará à tarde um balanço da operação. Segundo ele, entre as fraudes encontradas durante as investigações estariam aposentadorias irregulares, recebimentos indevidos de aposentadorias e vendas de certidões de nascimentos. Segundo o delegado, o nome da operação é uma referência às bengalas usadas pelas vítimas dos criminosos - pessoas idosas que buscam seus benefícios junto ao INSS e são enganadas pelos integrantes da quadrilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.