Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Fraude nos EUA causa perdas na Europa e Japão

Lendário investidor de Wall Street, Bernard Madoff comandava esquema de pirâmide financeira cujos prejuízos podem chegar a US$ 50 bilhões

AGÊNCIAS INTERNACIONAIS, O Estadao de S.Paulo

13 de dezembro de 2008 | 00h00

Alguns dos mais poderosos investidores do mundo perderam dinheiro com o esquema fraudulento do ex-presidente da bolsa eletrônica Nasdaq Bernard Madoff. A informação foi divulgada ontem pelo Wall Street Journal. O lendário gestor de fundos, de 70 anos, foi preso quinta-feira em Manhattan pelo FBI, a Polícia Federal americana. Madoff, que criou em 1960 o Bernard L. Madoff Investment Securities LLC, um fundo hedge (categoria mais arriscada do mercado), é acusado pela Justiça americana de ter acumulado US$ 50 bilhões em perdas fraudulentas. O esquema pelo qual operava, conhecido como Ponzi, era um tipo de pirâmide financeira. Se o valor for confirmado, a fraude será a maior da história do mercado financeiro dos Estados Unidos. Segundo o WSJ, as vítimas de Madoff vão de Tóquio até alguns países europeus. O diário informou, citando fontes anônimas, que o banco francês BNP Paribas, o japonês Nomura e o Neue Private Bank, com sede em Zurique, estariam entre os afetados. Ainda segundo o WSJ, muitas carteiras de fundos de risco sofreram perdas. Entre os principais investidores pessoas físicas estariam o dono da equipe de beisebol Mets (de Nova York), Fred Wilpon, e o ex-proprietário da equipe de futebol americano Eagles (Filadélfia) Norman Braman.A imprensa espanhola informou que o Banco Santander (que no Brasil controla o grupo Santander Real) também teria perdido dinheiro em decorrência da fraude. O banco, segundo agências internacionais, não se pronunciou a respeito. Por ora, não há informações de que brasileiros tenham tido prejuízo com os negócios.No início da noite, o banco suíço Banque Benedict Hentsch Fairfield Partners informou que deixou 56 milhões de francos suíços (o equivalente a US$ 47,5 milhões) sob administração de Madoff. A instituição afirmou que está tomando todas as medidas necessárias para proteger os interesses dos clientes. A edição eletrônica do The New York Times informou que há relatos de famílias que teriam perdido toda a poupança por causas da fraude. Ainda segundo o jornal, instituições de caridade também teriam apurado grandes prejuízos. Durante décadas, Madoff foi uma pessoa influente em Wall Street. Chegou a comandar a bolsa eletrônica Nasdaq, onde estão concentradas as ações das empresas do setor de tecnologia. Ele também foi denunciado pela Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, em inglês) e pode amargar mais de 20 anos de prisão e pagar uma multa de até US$ 5 milhões. Ele já está em liberdade após pagar fiança de US$ 10 milhões, obtidos em troca da penhora de seu apartamento em Nova York.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.