Fraudes em cheques cresceram 13,33%, aponta Telecheque

As fraudes em cheque cresceram 13,33% no Brasil em 2006 segundo balanço divulgado nesta segunda-feira pela Telecheque (empresa de concessão de crédito no varejo).O levantamento constatou que o índice de fraudes neste meio de pagamento no País foi de 0,17% no ano passado, enquanto em 2005, o mesmo tipo de estudo registrou indicador de 0,15%.Para o vice-presidente da Telecheque, José Antônio Praxedes Neto, os golpes estão mais sofisticados e os lojistas devem ter bastante atenção. "É muito importante que os lojistas estejam atentos aos golpes, principalmente considerando a evolução e sofisticação dos estelionatários", alertou Neto, acrescentando que os lojistas devem solicitar e conferir os documentos dos consumidores sempre, "pois é muito comum que um cheque adulterado seja acompanhado de documentos falsificados." E complementou: "Daí a importância de se treinar toda a equipe do estabelecimento para que ela seja capaz de identificar alguma tentativa de golpe."O executivo também chamou atenção para outra prática dos fraudadores que, segundo ele, tem crescido no mercado. "As contas abertas por falsários têm nos preocupado, já que, nestes casos, a fraude acontece no próprio banco, por meio da abertura de conta corrente com documentos falsificados", atentou. Segundo ele, esta nova estratégia de fraude tem colocado o varejo numa posição "bastante fragilizada", devido a dificuldade de comprovação e ressarcimento perante os bancos.Em 2006 foi destaque ainda o crescimento de 5,26% do indicador de cheques sustados. Com índice de 0,38% em 2005, eles passaram a responder por 0,40% do volume total de transações com cheques em 2006. Em contrapartida, o volume de cheques roubados apresentou recuo de 15,38%. No ano passado, o índice foi de 0,11%, enquanto que em 2005 foi de 0,13%. A queda, no entanto, de acordo com Neto, denota a tendência de migração do simples roubo de cheques para a fraude. "Hoje a tecnologia e a sofisticação têm sido o grande diferencial utilizado pelos golpistas, que sempre inovam as suas técnicas, tornando ainda mais difícil a identificação da fraude", informou.Com abrangência nacional, a Telecheque avalia a inadimplência com cheques, bem como outros indicadores relacionados a esse meio de pagamento, considerando o valor em reais das transações com cheques e não a quantidade de folhas de cheques emitidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.