Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Frete rodoviário poderá aumentar 12%

Os fretes do transporte rodoviário de cargas poderão ter reajuste médio de 12,06%. A estimativa é do Conselho Nacional de Estudos de Transporte e Tarifas (Conet), que sugere às transportadoras alinhar os fretes para compensar os reajustes salariais dos transportadores.Uma das principais referências do setor, a convenção do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região (Setcesp) ? que representa 5.800 transportadoras da Grande São Paulo e Guarulhos ? definiu que os trabalhadores com salário de até R$ 2.000,00 terão correção salarial acumulada de 12% para pagamento em duas parcelas. Com o reajuste, o piso salarial de um motorista de carreta será de R$ 696 em julho. De acordo com levantamentos da Associação Nacional do Transporte de Cargas (NTC), o reajuste dos salários, benefícios e encargos sociais representarão aumentos de até 19% no custo da mão-de-obra.Este mês, segundo a entidade, a redução real do preço do diesel nos postos de abastecimento foi de 4,3%, em média. Entre outubro de 2002 e abril de 2003 ocorreram, segundo a Fipe/USP, aumentos nos custos de combustível (40,32%), óleo lubrificante (12,81%), veículo (10,65%), carroçaria (29,89%), pneu (37,19%), entre outros.A tabela do Conet utilizada como base para os cálculos das empresas informa que, entre outubro e abril, os custos do transporte aumentaram 12% para o transporte de carga fracionada em distâncias médias (800 km). Para as lotações (quando um embarcador "lota" um caminhão inteiro), o aumento de custos foi de 20% nas distâncias médias. Essa tabela é utilizada como referência, uma vez que os fretes do transporte rodoviário são regidos pelo mercado.

Agencia Estado,

26 de maio de 2003 | 14h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.