portfólio

E-Investidor: qual o melhor investimento para 2020?

Frigorífico Independência fecha unidades e demite 2 mil

O Frigorífico Independência informou hoje que as unidades em Senador Canedo (GO) e em Anastácio (MS) foram fechadas nesta terça-feira, o que irá provocar a demissão de 2 mil empregados, sendo 1,1 mil na unidade goiana e 900 na sul-mato-grossense. Com o fechamento das plantas, os abates das 2,4 mil cabeças de gado, suspensos desde o pedido de recuperação judicial, no início deste mês, também serão encerrados.

GUSTAVO PORTO, Agencia Estado

24 de março de 2009 | 14h34

"O fechamento das unidades é uma decisão muito difícil de ser tomada. A companhia conhece suas responsabilidades e reconhece que esta atitude irá impactar seus colaboradores e a sociedade em que ela se encontra, mas a difícil decisão teve de ser tomada a fim de parar a significante saída de dinheiro que estas operações estavam causando por causa da situação atual do mercado", informou o executivo-chefe do frigorífico, Roberto Graziano Russo, por meio de comunicado ao mercado. "Os fechamentos são imperativos para tentar preservar a saúde financeira da companhia e garantir a continuidade de suas operações", completou.

No comunicado, o Independência justifica que o fechamento das unidades é parte do programa de ajuste das operações da companhia à realidade do mercado atual, "que foram severamente impactadas pela menor demanda internacional, pelo excesso de oferta de carne, tanto no mercado doméstico como nas exportações, e pela quedo nos preços de venda da carne".

Com o fechamento das duas unidades, o Independência passa a ter capacidade de abate de 6 mil cabeças de boi por dia, ante 8,4 mil anteriormente. A companhia, com sede em Cajamar (SP), passa a ter dez plantas no Brasil e no Paraguai.

No comunicado divulgado hoje, o executivo do frigorífico sinalizou ainda que a companhia pode seguir com o fechamento de suas outras dez unidades, mas admitiu também reabrir alguma planta industrial. "Nós continuaremos a avaliar cada uma de nossas unidades produtivas dentro das condições adversas do mercado atual e tomaremos as decisões necessárias, quando tiverem de ser tomadas. Isso pode incluir, também, a reabertura de qualquer unidade, caso as condições de mercado se estabilizem e voltem a níveis normais, permitindo que a companhia opere com lucro", informou Russo, em comunicado.

"O Independência se mantém fortemente compromissado em continuar suas atividades e manter suas relações comerciais com seus clientes e fornecedores, à medida que procura adequar suas operações ao ambiente econômico atual", diz a nota. "Além disso, reafirma seu comprometimento com a transparência em fornecer informações e se empenhará em manter o mercado informado sobre qualquer novo desenvolvimento em sua situação atual", conclui o comunicado.

Tudo o que sabemos sobre:
demissõesfrigorífico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.