finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Funcef nega conversas para fusão entre Oi e BrT

O presidente da Funcef, Guilherme Lacerda, afirmou ontem que, apesar de os fundos de pensão "olharem com bons olhos" a fusão da Brasil Telecom com a Oi (antiga Telemar), nada houve ainda de concreto nessa direção por parte dos acionistas das empresas. A Funcef, fundo de pensão dos funcionários da Caixa Econômica Federal, é um dos fundos que participam do desenho societário das duas operadoras.O grupo é liderado pelo fundo Previ (Banco do Brasil) e inclui ainda o Petros (Petrobrás). Por exigência da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), eles tiveram de se retirar de um dos blocos de controle e escolheram permanecer na gestão da BrT. Lacerda reconhece que pode haver um "elemento institucional estratégico" além do interesse dos controladoras, mas afirma não ter ocorrido nenhum encontro preparatório para acertar uma futura modelagem, como chegou a ser cogitado, e nem discussão sobre a instituição de uma "golden share", ação que daria ao governo, em caso de fusão, poder de veto em decisões da companhia. Ele, porém, não considera remota a possibilidade. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.