Wilton Junior|Estadão
Wilton Junior|Estadão

carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Funcionário da Petrobrás desaparece após cair em tanque de refinaria no RJ

Luiz Cabral trabalhava em equipamento que havia sido interditado pelo Ministério do Trabalho, mas que estava em operação

Fernanda Nunes, O Estado de S.Paulo

01 de fevereiro de 2016 | 14h58

RIO - A Petrobrás confirmou o desaparecimento de um funcionário da refinaria Reduc, no município de Caxias (RJ). Segundo o Sindicato dos Petroleiros de Duque de Caxias (Sindipetro-Caxias), Luiz Cabral caiu em um tanque que estava em funcionamento, apesar das más condições de manutenção e de ter sido interditado pelo Ministério do Trabalho.

Em comunicado, a empresa informa que a "Reduc está investigando o desaparecimento do empregado e dando assistência à família. Em conformidade com a legislação, todos os órgãos competentes foram devidamente informados da ocorrência". 

Segundo Pedro Rodrigues Hamude, diretor do sindicato, o corpo de Luiz Cabral ainda está sendo procurado. Ele não soube informar a idade da vítima, mas estima que o petroleiro tivesse pouco mais de 50 anos.

A suspeita é de que Cabral tenha caído em um dos tanques da refinaria, durante um procedimento de medição. "Em 2014, o Ministério do Trabalho interditou alguns desses tanques devido à corrosão acentuada na escada de acesso e no teto. Além disso, é antigo o problema da falta de iluminação adequada, pontilhão para o acesso, corrimão e guarda-corpo", informou o sindicato, em texto divulgado em sua página na internet.

Hamude afirmou que o tanque onde ocorreu o acidente está sendo esvaziado, na busca pelo corpo do funcionário. "O teto está quebrado e há marcas suficientes para comprovar a queda", disse ele. O sindicalista afirmou que o tanque onde o petroleiro deve ter caído é um dos interditados pelo Ministério do Trabalho, ordem que, de acordo com o sindicato, foi ignorada pela empresa. 

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.