Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Funcionários da EMAE devem parar por 24 horas na 2ª

Os funcionários da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (EMAE) devem fazer uma paralisação de 24 horas a partir da zero hora da segunda-feira, dia 11 de agosto. De acordo com o diretor do Sindicato dos Eletricitários de São Paulo, José Roberto Lara, a paralisação é "uma advertência" da categoria, que reivindica, entre outras medidas, a participação nos lucros da empresa e a garantia de três anos no emprego.Lara disse que, por determinação do governo do Estado, a EMAE será fundida com a Sabesp e os funcionários temem eventuais demissões. A paralisação, no entanto, não deve prejudicar a população. "Não queremos os usuários contra nós. Fizemos um acordo com a EMAE e 30% dos funcionários continuarão trabalhando normalmente", afirmou.Antes de decidir pela paralisação, o sindicato participou de reuniões com a diretoria da EMAE e representantes da Secretaria de Saneamento e Energia do Estado, mas não houve acordo, informou Lara. Os funcionários reivindicam também que os benefícios de vale-refeição e vale-alimentação tenham seus valores reajustados. "A inflação tem incidido diretamente sobre o preço dos alimentos. Nossos benefícios também precisam ser reajustados", disse o diretor do sindicato.

CARINA URBANIN, Agencia Estado

08 de agosto de 2008 | 16h43

Tudo o que sabemos sobre:
greveEMAE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.