Funcionários da TAM encerram paralisação em Congonhas

Parada parcial pela manhã provocou atrasos e cancelamentos de voos no aeroporto

estadão.com.br,

22 de dezembro de 2011 | 16h00

SÃO PAULO - Os funcionários da TAM já voltaram ao trabalho no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, informa a empresa em nota. Pela manhã, uma paralisação parcial dos empregados do setor de rampa da companhia aérea (responsáveis pelo manuseio de cargas e bagagens e pelos equipamentos de solo que atendem as aeronaves) provocou atrasos e cancelamentos de voos.

Segundo boletim da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), 69 dos 154 voos domésticos programados (ou 44,8%) tiveram atraso desde o início do dia até as 16h e 25 (16,2%) foram cancelados em Congonhas. O dado é referente a todas as companhias aéreas. A situação reflete a parada pela manhã, uma vez que entre 15h e 16h foram apenas 3 atrasos (ou 1,9%) (saiba seus direitos em caso de atraso ou cancelamento).

A TAM informa que seus clientes podem conferir a situação de seus voos ligando para a Central de Atendimento (4002-5700, capitais, ou 0800 5705700, para todo o Brasil).

"Antecipamos a greve marcada para as 23 horas de hoje (22) para a parte da manhã, para sensibilizarmos os juízes que participarão da reunião de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), marcada para as 13 horas", explica o diretor do Sindicato dos Aeroviários do Estado de São Paulo, Francisco Alves.

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), João Oreste Dalazen, determinou na véspera que pelos menos 80% dos aeronautas e aeroviários trabalhem nas vésperas do Natal e Ano Novo. Se a determinação não for cumprida, os sindicatos das duas categorias poderão pagar multa diária de R$ 100 mil.

(Com Solange Spigliatti, do estadão.com.br)

Tudo o que sabemos sobre:
tamfuncionários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.