CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO
CLAYTON DE SOUZA/ESTADÃO

Funcionários da TAM fazem paralisação no Aeroporto de Guarulhos

Um dia após a greve dos transportes na Argentina, trabalhadores se manifestam em prol de benefícios e melhores condições de trabalho

Diego Moura, Malena Oliveira e Raquel Brandão, O Estado de S. Paulo

01 de abril de 2015 | 08h01

(Atualizada às 19h53)

Trabalhadores da TAM realizaram paralisação nesta quarta-feira, 1º, no Aeroporto de Guarulhos. Segundo o Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos (Sindigru), funcionários da companhia cruzaram os braços reivindicando benefícios, como participação nos lucros da empresa e melhores condições de trabalho. De acordo com a entidade, cerca de 200 funcionários pararam durante a manhã de hoje.

De acordo Manoel Gomes, um dos diretores do sindicato, o ato começou às 5h no Terminal 1 de Guarulhos. "A gente está se sentindo humilhado, desrespeitado. A gente quer a PLR (participação nos lucros e resultados), distribuição dos lucros. E que pare a exploração. Antes eram seis funcionários para carregar um avião, agora são dois, tem um monte de gente com hérnia de disco", disse ao Estado.

A TAM diz se tratar de "um pequeno grupo de funcionários", que representa 3,3% do quadro de rampa. Segundo a empresa, foi adotado um esquema especial de trabalho durante a manhã para que os voos não fossem prejudicados. A TAM também informou que não foi uma paralisação, mas sim uma manifestação. "A companhia ratifica que mantém constante contato com os seus funcionários", diz a empresa em nota.

Apesar disso, na manhã de hoje o boletim da administração de Guarulhos (GRU Airport) informava que 10 voos da TAM ou LAN estavam com atrasos.



Assembleia. Uma comissão de oito trabalhadores foi recebida pela TAM no começo da tarde. Após assembleia que durou mais de duas horas, a companhia se comprometeu a dar uma resposta às reivindicações apresentadas pelos funcionários em até 10 dias, segundo o Sindigru. "Foi tudo alinhado com a empresa", explicou um dos diretores do sindicato, Manoel Gomes.

Greve na Argentina. O movimento acontece um dia após uma greve geral dos transportes na Argentina, que afetou os voos internacionais nesta terça-feira, 31.

Na manhã desta quarta-feira, 1º, dos 15 voos internacionais programados para os terminais administrados pela Infraero, um está atrasado e três foram cancelados. No caso dos voos domésticos, dos 432 programados, 16 estão atrasados, cinco foram cancelados no momento, e 25 foram cancelados.

A TAM informou que as rotas para a Argentina estão normalizadas. 


Mais conteúdo sobre:
AeroportosTAMgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.