Funcionários da Vale ameaçam fazer greve

Os funcionários da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) ameaçam entrar em greve a partir de agosto. Os trabalhadores alegam que a empresa tem reajustado os salários abaixo da inflação desde 1994 e argumentam que, só nos últimos cinco anos, as perdas em relação ao Índice Geral de Preços ao Mercado (IGPM) somam 13 pontos percentuais.Uma greve na principal mineradora brasileira e uma das companhias que mais exportam no País teria contornos muito negativos para a balança comercial. A receita média semanal do grupo CVRD gira em torno de R$ 211 milhões. O cenário de uma greve que dura uma semana, porém, é descartado pelo diretor de recursos humanos da mineradora, Marcus Roger.Ele diz que os funcionários da Vale não entram em greve desde a década de 80. ?Os salários da companhia são acima da média do mercado. Temos remuneração fixa e variável. No ano passado, a Vale pagou de participação nos lucros 2,8 salários para cada trabalhador?, explicou o diretor.Já Carlos Cleto, negociador contratado por sete sindicatos de funcionários da mineradora, alega que houve uma forte perda de poder aquisitivo nos últimos anos e solicita, além dos 9,5% de reposição, um abono de R$ 2,5 mil. A diretoria da CVRD acena com um abono de R$ 1 mil e uma reposição de 7%.?O problema é que todos os anos o reajuste tem ficado abaixo da inflação, temos que dar um basta nisso?, afirmou Cleto. A CVRD tem 14 mil funcionários e negocia com 22 sindicatos. Desse total, seis sindicatos já aceitaram a proposta oferecida pela mineradora. O restante ainda está em negociações com a empresa, mas, segundo Cleto, os trabalhadores não estão dispostos a abrir mão de suas reivindicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.