Funcionários da Varig acusam o governo federal de negligência

Funcionários da Varig literalmente vestiram a camisa da empresa e manifestaram-se hoje a favor de uma intervenção do governo federal, a quem acusam de negligência no caso. Reunidos pela manhã na sede da Varig, ao lado do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, um grupo de 10 comissários que se intitula "variganos" fez uma defesa veemente da empresa, que completará 79 anos em maio. "O governo e o Departamento de Aviação Civil (DAC) vão deixar a Varig falir para atender interesses de outras companhias" , disseram os aeronautas. Uma faixa na frente de um dos portões da empresa afirmava o seguinte: "Acordem: não deixem que a Varig desapareça por negligência de um governo comprovadamente corrupto". No aeroporto, os balcões de check-in da Varig estavam hoje bastante tranqüilos, enquanto que nos da Gol havia filas de mais de 40 minutos de espera. Os funcionários garantiram apoio ao atual presidente da empresa, Marcelo Bottini. De acordo com eles, os salários estão sendo pagos com atraso, mas integralmente. Eles garantem que o pagamento das diárias da tripulação também está sendo feito regularmente. Segundo o comissário Augusto Fragoso, de 49 anos, a empresa é a única que atende integralmente a regulamentação trabalhista do setor e a que até hoje oferece os melhores salários. Os empregados são céticos em relação à capacidade dos sindicatos dos aeronautas e dos aeroviários de defendê-los diante da crise. Uma aeromoça aposentada que afirmou chamar-se Clara fez questão de participar das manifestações a favor da empresa. Segundo ela, muitos passageiros são fiéis à marca e diversos vôos continuam saindo lotados, especialmente os internacionais. Segundo os empregados da Varig, as companhias que mais serão beneficiadas com a possível paralisação da empresa serão as internacionais, como American Airlines, United Airlines, AiR France e outras. "Elas têm caixa para manter as tarifas baixas e ganhar mercado no Brasil; nenhuma companhia brasileira vai agüentar" , disse Fragoso. Manifestações em Brasília Um grupo com cerca de 300 funcionários da Varig chegou, na manhã desta terça-feira, em Brasília, vindo do Rio de Janeiro, e faz uma manifestação no aeroporto internacional da capital. A ação faz parte de outros movimentos que são feitos na manhã desta Terça. Em São Paulo, por volta das sete horas, um grupo com o mesmo número de empregados da companhia aérea se reuniu no aeroporto de Congonhas para pedir intervenção do governo federal na situação da companhia. O protesto deixou o trânsito parado na entrada do aeroporto. Por volta das 9 horas, os funcionários estavam no interior do aeroporto. Também no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, uma manifestação em defesa da Varig reuniu cerca de 150 pessoas ao amanhecer desta terça-feira, quando deputados e senadores gaúchos estavam embarcando para Brasília. O grupo, formado por funcionários da empresa e familiares, portava faixas e cartazes para pedir apoio do governo federal à manutenção das atividades da Varig.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.