Funcionários da Varig protestam contra fusão

Cerca de 500 funcionários da Varig estão se manifestando contra a fusão da empresa com a TAM. Eles cercaram a portaria e a garagem da sede da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) em uma tentativa de encontrar o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, que está dentro do prédio, participando de uma solenidade do setor naval. "O Zé Dirceu, cadê você? Eu vim aqui só para te ver!", gritam os manifestantes que estão provocando congestionamento.Os carros das autoridades foram levados vazios pelos motoristas em uma tentativa de despistar os manifestantes. Ainda fora do prédio, um esquema de segurança está sendo montado pelas Polícias Civil e Militar, que impedem o retorno da imprensa ao local onde estava havendo a cerimônia.O ministro está neste momento em uma área reservada, dentro da Firjan. Existe a possibilidade de ele ser retirado de helicóptero. Na agenda do ministro, estava prevista uma reunião com a diretoria da Petrobras, mas não foi confirmado se o encontro será mantido.Os funcionários da Varig foram andando do aeroporto Santos Dumont onde a manifestação começou às 15h, para a Firjan. No aeroporto, receberam o apoio do presidente do PDT, Leonel Brizola, e entregaram uma carta à Varig, manifestando-se contra a fusão. Brizola disse que o partido é contra a fusão em curso. "Pessoalmente, eu sou contra a fusão. Não discutimos o assunto internamente no partido, mas posso afirmar que nosso partido é contra a falsa fusão que se pretende fazer", disse Brizola ao microfone. Segundo ele, o que se pretende com esse processo é a incorporação na prática da Varig pela TAM.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.