Funcionários do Banco do Brasil mantêm a greve

A paralisação dos funcionários do Banco do Brasil em São Paulo entra nesta quarta-feira no segundo dia. Em assembléia realizada noite desta terça-feira, cerca de 1,2 mil dos 6 mil bancários da instituição decidiram pela continuidade do movimento. Também estão em greve funcionários do banco em Salvador, Rio de Janeiro, Recife, Brasília, Belo Horizonte e Florianópolis. Os funcionários da Caixa Econômica Federal estão parados em Belo Horizonte, Rio e Cuiabá. A direção do Banco do Brasil considerou a paralisação parcial hoje, mas admitiu que algumas agências não abriram as portas, enquanto outras operaram precariamente. O banco recomenda aos clientes que utilizem o auto-atendimento ou a internet. Para quem tiver dificuldades, o BB colocou à disposição o telefone 0800.785678. O Sindicato dos Bancários de São Paulo avaliou em 70% a adesão dos funcionários à paralisação, envolvendo 44% das agências.O presidente da entidade, João Vaccari Neto, disse que a proposta do banco não atende toda a categoria. Os funcionários reivindicam 12,6% de reajuste, além de abono de R$ 1,5 mil. O banco oferece 6,14% de aumento e mais duas promoções, que resultariam nesse índice, mas para 75% da categoria. Para os demais, o índice varia de 6% a 12%, além do abono de R$ 1,5 mil.Funcionários da Caixa Econômica Federal em São Paulo realizam assembléia nesta quarta-feira e também podem aderir à greve, embora Vaccari admitiu que a direção da instituição "esteja mais aberta à negociação." A Caixa informou hoje que a greve dos empregados atingiu 6,09% das agências em todo o País. A paralisação, segundo o Sindicato dos Bancários de Brasília, contou com adesão de 100% em Niterói, e ainda teve a participação dos funcionários no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Petrópolis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.