Funcionários do Tesouro iniciam paralisação de três dias

Categoria reivindica equiparação salarial com servidores da Receita; leilões do Tesouro continuam

Adriana Fernandes, da Agência Estado,

17 de junho de 2008 | 10h48

Os funcionários do Tesouro Nacional iniciaram nesta terça-feira, 17, uma paralisação de três dias. A categoria quer equiparação de salário com os servidores da Receita Federal.   Segundo informações da União Nacional dos Analistas e Técnicos de Finanças e Controle (Unacon), os trabalhadores iniciaram negociações com o governo há cerca de um ano e até agora não conseguiram avanços. Para a Unacon, cerca de 700 dos 900 funcionários que trabalham no Tesouro vão aderir ao movimento.   O coordenador de operações da Dívida Pública do Tesouro Nacional, Guilherme Pedras, afirmou que estão mantidos os leilões de títulos do Tesouro no mercado programados para quarta e quinta-feira, mesmo com a paralisação.   Nesta quarta o Tesouro fará leilão de troca de Letras do Tesouro Nacional (LTN) e na quinta-feira tem leilão tradicional de papéis prefixados e pós-fixados. Pedras disse que a realização dos leilões será garantida por ele próprio e por servidores com cargo de comissão.   A Unacon realizará assembléia para deliberar sobre indicativo de greve por tempo indeterminado, da qual também participarão os funcionários da Controladoria Geral da União (CGU), nesta quarta-feira às 9 horas (de Brasília).

Tudo o que sabemos sobre:
TesouroGreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.