Fundo 157: veja como resgatar seu dinheiro

O Fundo 157 foi um fundo criado em 1967 com a finalidade de alavancar o mercado de ações. Ele dava a opção aos contribuintes de aplicar parte do Imposto de Renda (2%) no fundo, permitindo que o investidor, ao invés de pagar Imposto de Renda, adquirisse quotas de fundos administrados pelo banco de sua escolha. O período em que o fundo recebeu investimentos foi de 15 anos, de 1967 a 1982, quando foi fechado para novas aplicações.A instituição que fiscalizava o fundo era o Banco Central, até que em 1987, essa tarefa coube à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Atualmente, há um órgão governamental específico para fiscalizar e regularizar o mercado de ações, diferentemente de quando estava em vigor o fundo 157. De acordo com pesquisa de Nívea Vargas, devido às características da legislação e da fiscalização pouco rigorosa da época, o fundo praticamente não deu retorno aos investidores. No final das contas, as taxas de administração cobradas corroeram os depósitos. Muitas pessoas ainda possuem dinheiro depositado no fundo e nem sequer sabem que o dinheiro está disponível para o resgate. Por conta disso, em 1996, com a colaboração da Secretaria da Receita Federal, a CVM conseguiu localizar mais de 2,7 milhões de pessoas que se esqueceram do dinheiro aplicado e se empenhou em informá-las de seus saldos e condições de resgate. Para efetuar o resgate Segundo a gerente de orientação ao investidor da CVM, Cheila Lima, as pessoas que quiserem resgatar seu dinheiro do Fundo 157 devem se dirigir ao banco em que foi feita a aplicação e apresentar o extrato referente ao fundo, o qual foi emitido pela Receita Federal na época em que foi feito o investimento. Caso o investidor não se lembre em qual banco efetuou a aplicação, não saiba se tem dinheiro depositado, ou tenha se desfeito do extrato, a CVM se dispõe a auxiliar as pessoas fornecendo-lhes todas as informações. Basta enviar uma carta à CVM destinada ao Serviço de Atendimento com o nome completo, endereço e CPF para que eles possam verificar os dados e comprovar a existência do dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.