Fundo Advent compra 50% do grupo Kroton

Fundo de private equity investe R$ 280 milhões na empresa de educação e passa a dividir o controle com os fundadores da companhia

Marianna Aragão, O Estadao de S.Paulo

25 de junho de 2009 | 00h00

A Advent, fundo internacional de private equity (que compra participação em empresas), anunciou ontem seu quarto investimento no País nos últimos nove meses. O fundo vai fazer um aporte de R$ 280 milhões na holding que controla a Kroton Educacional, proprietária da rede Pitágoras, entre outras instituições de ensino. Parte do capital investido - R$ 220 milhões - será utilizado no aumento do capital da empresa, que fez seu IPO em 2007. O restante será destinado à holding Pitágoras Administração e Participação (PAP).Segundo Patrice Etlin, sócio responsável pela Advent no Brasil, com a operação, o fundo terá participação de 50% na holding e de 28% na Kroton. O controle da companhia educacional - que tem cerca de 43 mil alunos no ensino superior e 226 mil no básico - será compartilhado entre os novos investidores e os fundadores. O conselho da Kroton também terá membros independentes. "É a empresa do setor educacional que mais cresce no Brasil e tem uma governança de primeira linha", justifica o executivo.Pelo acordo firmado entre as empresas, a Kroton deverá realizar um aumento do capital no valor de R$ 387,9 milhões. Para chegar a essa quantia, além do investimento da Advent, a empresa fará uma emissão de ações ordinárias e preferenciais. Os acionistas terão direito de preferência para subscrever os novos papéis. Segundo a vice-presidente da Kroton Educacional, Alícia Figueiredo, a ampliação de capital servirá para acelerar o ritmo de crescimento da companhia.A Advent analisa há bastante tempo a possibilidade de entrar na área de educação. De acordo com Etlin, o interesse ocorre pelo potencial de crescimento e fragmentação do mercado. "O ensino superior ainda tem pouco penetração no Brasil. Apenas 20% da população está matriculada em universidades, um número baixo em comparação com outros mercados desenvolvidos e até em desenvolvimento", afirma.O negócio, segundo Etlin, segue a lógica dos últimos investimentos realizados pelo fundo no País. "Acreditamos na melhoria do poder de consumo de grande parcela da população", diz ele. Com essa expectativa, a Advent apostou fortemente em varejo e alimentação nos últimos anos. Entre 2007 e 2008, adquiriu a rede de restaurantes Frango Assado e a de construção civil Quero Quero, líder na Região Sul do País, entre outras. O último negócio da companhia foi a compra de 30% da Cetip - empresa que administra operações no balcão onde são negociados títulos públicos e privados de renda fixa -, em maio.Segundo Etlin, a continuidade dos investimentos em negócios no Brasil, mesmo com a crise, prova a confiança do fundo na economia. "Somos hoje o fundo de private equity mais ativo no País."CONSOLIDAÇÃOPara a vice-presidente da Kroton, a entrada do novo sócio ocorre em "momento propício". "Temos a chance de sair na frente na consolidação do mercado educacional, em um momento em que a maioria das empresas está com o caixa baixo", afirma Alícia. Desde o IPO, em julho de 2007, a companhia fez 12 aquisições no setor.A Kroton foi fundada em 1966 em Belo Horizonte, por um grupo de empreendedores: Evandro Neiva, Júlio Fernando Cabizuca e Walfrido dos Mares Guias, hoje Ministro do Turismo. O negócio começou como um curso preparatório para o vestibular, mas avançou para outras áreas do ensino nos anos seguintes. Nos anos 90, criou a rede Pitágoras, comercializando seu método de ensino e gestão para escolas associadas. Em 2000, passou a atuar no ensino superior.As três famílias fundadoras respondem pelo controle da empresa, agora compartilhado com a Advent. No primeiro trimestre de 2009, a Kroton teve receita líquida de R$ 107,5 milhões, 51,4% mais do que no mesmo período do ano anterior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.