Fundo cambial: maior rentabilidade de fevereiro

No ranking das aplicações financeiras, as aplicações atreladas ao câmbio foram as que proporcionaram o maior retorno no mês de fevereiro, segundo dados da Agência Estado. A alta do dólar, provocada por fatores externos - crise financeira na Turquia, dados sobre o ritmo de desaceleração da economia dos EUA e incertezas em relação à economia da Argentina -, impulsionou a rentabilidade dos fundos cambiais. E a moeda norte-americana continua subindo. Hoje, o dólar atingiu a máxima de R$ 2,05. No mês de fevereiro, o dólar obteve uma valorização de 3,76% e os fundos cambias - que oferecem como rendimento uma taxa de juros mais a variação do dólar, registraram um ganho (projetado o rendimento do último dia da série) de 4,19%.Seguindo a mesma lógica, a tendência das bolsas é de queda nos rendimentos. Ao contrário do que ocorreu no mês passado, quando o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo - acumulou um ganho de 15,81%; neste mês, o índice amarga uma perda de 10,08%, a pior aplicação do ranking.Dentre os investimentos de renda fixa, os fundos prefixados registraram ganho (projetado o rendimento do último dia da série) de 0,88%. O Certificado de Depósito Interbancário (CDI), título de renda fixa negociado entre os bancos, rendeu 1,01%. Já o Certificado de Depósito Bancário (CDB) - título emitidos por bancos com juros prefixados -, para quantias médias com prazo de 30 dias, renderam 0,90%. Para tanto, foi considerado um CDB comprado no primeiro dia útil do mês resgatado no primeiro dia útil de março, considerando-se apenas os juros pagos em dias úteis nesse intervalo.O ouro, cuja rentabilidade foi a pior do mês janeiro, reverteu a queda e, no mês de fevereiro, registrou um ganho de 3,45%. Já a poupança rendeu 0,54% no mesmo período.IndicadoresVariaçãoIbovespa-10,08%Fundos Cambiais+4,19%Fundos de renda fixa prefixados+0,88%CDI+1,01%CDB+0,90%Dólar+3,76%Poupança+0,54%IGP-M+0,23%Ouro+3,45%

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.