Fundo de investimento de Armínio Fraga estuda setor de etanol

Depois de vender 12,5 por centoda Gávea Investimentos para o fundo da universidade de Harvard,o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, que comanda aadministradora de recursos, pode enveredar para o mercado debiocombustíveis. Fraga afirmou que está avaliando alguns investimentos,principalmente no mercado de etanol. "Nós já examinamos algumascoisas nesse setor e até agora não fizemos nenhuminvestimento." "Durante um certo momento, parecia que o setor vivia umacerta euforia. Em geral, em momentos de euforia, os preçossobem demais. Os preços ficaram caros para nós. A um nível maisrazoável e a um preço certo, nós investiríamos nesse setor",disse Fraga a jornalistas, durante um seminário da FundaçãoGetúlio Vargas. "Acho o setor muito bom, o Brasil é uma potência nessesetor. Num preço bom, o setor nos agrada muito e nos interessamais, mas até agora não encontramos nada", acrescentou Fraga,ao afirmar que outras áreas exploradas pelo Gávea Investimentossão infra-estrutura e consumo. Fraga chegou a ser citado como um dos interessados emcomprar parte das ações da Vale do Rosário, antes da fusão coma Companhia Energética Santa Elisa, que resultou na SantelisaVale. Segundo Fraga, os recursos provenientes da venda do fundode investimentos Gávea serão destinados às três principaiscarteiras do fundo: uma multimercados, outra na área de gestãode patrimônio e a terceira de investimentos a longo prazo. "Os recursos da venda ficarão 100 por cento investidos nosnossos fundos, ou seja, nessas três áreas." Fraga admitiu que a crise provocada nos mercados de créditodificultou as operações dos últimos cinco meses, e aexpectativa é que a volatilidade continue. (Por Rodrigo Viga Gaier)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.