Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Fundo de resgate maior pode afetar ratings europeus, diz S&P

Ampliação do fundo de resgate traria ‘potenciais implicações de crédito de formas diferentes’ 

Reuters,

26 de setembro de 2011 | 08h04

Os esforços da Europa para intensificar o combate à crise de dívida da zona do euro podem desencadear rebaixamentos de notas de crédito de países da região, alertou uma autoridade da Standard & Poor's.

David Beers, diretor do grupo de ratings soberanos da S&P, disse que ainda é muito cedo para saber como os formuladores de políticas europeus ampliarão o Fundo Europeu de Estabilização Financeira (EFSF), o quão eficaz ele será e quais serão suas possíveis implicações de crédito.

Mas ele disse que várias alternativas podem ter "potenciais implicações de crédito de formas diferentes", inclusive para potências como França e Alemanha.

As autoridades europeias, buscando mais recursos para proteger a zona do euro contra as consequências da crise de dívida, estão considerando maneiras de aumentar o poder do fundo de resgate de 440 bilhões de euros, mas ainda é incerto como isso será feito.

Beers afirmou que é evidente, porém, que as autoridades não podem alavancar o EFSF sem limites.

"Há um certo consenso na zona do euro de que não há mais opções baratas e livres de riscos para alavancar o EFSF", disse Beers à Reuters.

Alguns analistas dizem que ao menos 2 trilhões de euros seriam necessários para proteger a Itália e a Espanha se a crise de dívida da Grécia se espalhar.

Alavancar o EFSF também pode resultar no rebaixamento do rating "AAA" do próprio fundo. (Walter Brandimarte)

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUROPAEXCLUSIVO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.