Fundo de resgate permanente do euro será lançado sem opção de alavancagem

Por objeção da Finlândia, os dois veículos de alavancagem criados pelo fundo temporário de ajuda ficaram para depois

Sergio Caldas, da Agência Estado,

21 de setembro de 2012 | 08h45

BRUXLEAS - O fundo de resgate permanente da União Europeia, conhecido como Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, na sigla em inglês), muito provavelmente vai ser lançado no mês que vem sem os dois veículos de alavancagem criados para seu predecessor temporário, a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, nas iniciais em inglês), por causa de novas preocupações da Finlândia com sua exposição aos fundos, disseram fontes com conhecimento da situação.

As opções de alavancagem foram estabelecidas no fim do ano passado para permitir à zona do euro mobilizar bem mais que a capacidade máxima de empréstimos do ESM, de 500 bilhões de euros (US$ 649 bilhões), ao oferecer proteção adicional aos investidores. Números exatos não foram divulgados, mas Klaus Regling, executivo chefe do fundo de resgate, disse que as opções dão a possibilidade de mobilizar mais de 1 trilhão de euros em recursos para conter a crise fiscal da região.

Ministros das Finanças da área do euro discutiram a transferência dos veículos de alavancagem para o ESM durante reunião no Chipre, na última sexta-feira. A proposta recebeu amplo apoio, mas a oposição da Finlândia impossibilitou um acordo.

Um oficial da UE disse acreditar que é possível contornar a objeção dos finlandeses. No entanto, com o lançamento do ESM marcado para 8 de outubro, os veículos de alavancagem não serão incluídos nos parâmetros que detalharão as ferramentas que estarão disponíveis com o novo fundo, nem as condições para que sejam usadas, segundo duas autoridades europeias.

Isso significa, segundo as fontes, que os veículos de alavancagem provavelmente não estarão prontos para uso no caso de a Espanha solicitar um programa de ajuda integral do ESM no curto prazo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Crisezona do eurofundo de resgate

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.