Fundo europeu diz ter recursos para Portugal e Espanha

A Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) tem recursos suficientes para financiar um socorro de Portugal e Espanha, disse hoje Klaus Regling, chefe do fundo de resgate da zona do euro (que reúne os 17 países que utilizam o euro como moeda). A informação foi dada durante entrevista à rádio Deutschlandfunk. Ele destacou que os dois países atualmente não precisam recorrer à EFSF, mas acrescentou que, se precisarem, o fundo é suficientemente grande.

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

20 de janeiro de 2011 | 13h23

Regling disse que os recursos seriam suficientes, embora apenas cerca de 250 bilhões de euros estejam de fato disponíveis, dos 440 bilhões de euros que o fundo deveria ter originalmente. A quantia mais baixa se deve ao fato de que os países recorrendo ao fundo não têm condições de contribuir. Além disso, o EFSF precisa dar garantias estendidas para assegurar que haja um bom rating (classificação de risco), explicou Regling. Os membros da zona do euro haviam concordado em fornecer garantias de empréstimos de até 440 bilhões de euros à EFSF.

"Não há necessidade aguda de ampliar o EFSF", acrescentou Regling. Atualmente, apenas 7% dos fundos disponíveis estão sendo de fato utilizados. A diferença entre o tamanho real de 250 bilhões de euros e o volume planejado de 440 bilhões de euros possivelmente será coberta com "novos mecanismos", disse Regling.

O chefe do EFSF disse que não sabe de onde vêm as especulações de que a Alemanha estaria preparando um possível calote da Grécia. Os mercados de fato acham que a "Grécia precisa de uma reestruturação", mas o programa de estabilidade do país está indo bem, acrescentou. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseEuropaPortugalEspanhafundoajuda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.