Fundo Garantidor do Banco Santos será liberado em até 15 dias

Fundo Garantidor de Crédito (FGC) do Banco SantO os será liberado em até 15 dias, dentro do prazo legal, disse, nesta quarta-feira, o interventor apontado pelo Banco Central para administrar a instituição, Vânio Aguiar. Ele informou que há funcionários ligando para clientes para explicar a situação do banco, já que o acesso às contas, via telefone, internet e agências, está bloqueado. A promessa foi uma resposta às críticas de clientes que procuraram a sede do Banco Santos em busca de informações sobre a garantia dada pelo Banco Central de que receberiam pelo menos os R$ 20 mil do FGC. O fundo é administrado por entidades privadas e funciona como uma espécie de seguro para os correntistas do setor bancário. "Foi informado que a gente teria direito ao saque de até R$ 20 mil e não sabemos como fazer a operação", disse o empresário José Alberto Fiorentino, de Florianópolis, que aproveitou para tentar obter informações na sede do banco, quando passava por São Paulo a negócios. "Poderiam, pelo menos, dar um prazo para o empresário se planejar. " O interventor informou também que, até sexta-feira, haverá um call center em funcionamento para atender os clientes em busca de informações. Segundo Aguiar, ainda não se sabe quantos funcionários sairão do banco em licença. Ele reafirmou que não há previsão de demissões. Além dos 300 funcionários contratados diretamente pelo banco, 400 empregados terceirizados ou de empresas coligadas estão sendo afetados pela intervenção no Banco Santos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.