finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Fundo imobiliário: mais um lançamento

O fundo imobiliário do Centro Empresarial Água Branca está com 40% de suas cotas disponíveis para a comercialização a partir de hoje. O valor de cada cota é de R$ 160, sendo que o valor mínimo de aplicação é de R$ 8 mil. O valor total das cotas disponíveis para o mercado nessa operação é de R$ 37,900 milhões. Assim como os outros fundos imobiliários estruturados pela Brazilian Mortgages, o Centro Empresarial oferece uma rentabilidade mensal bruta de 1,25% além da variação do Índice Geral dos Preços do Mercado (IGP-M). Como custos, o investidor arcará anualmente com 0,4% do patrimônio líquido (montante investido) e mensalmente uma alíquota de 20% sobre o rendimento referente ao Imposto de Renda (IR). Depois de três anos, o rendimento do fundo terá como base a locação de uma parte do imóvel - 40% de duas torres do Água Branca, o que equivale a 18 andares e 18 mil m2 de área útil cada. Essa parte do imóvel pertence hoje à Ricci Engenharia e formará a carteira destes fundos imobiliários. O restante das cotas do Centro Empresarial Água Branca - localizado na zona oeste de São Paulo - já foi vendido integramente a seis fundos de pensão.De acordo com Fábio Nogueira, diretor da Brazilian Mortgages, um diferencial deste fundo é a garantia proporcionada pelos certificados de garantida emitidos pelo banco BCN. "O objetivo destes certificados é garantir que uma parte dos recursos captados nessa aplicação fica custodiada pelo BCN, que garante o pagamento da rentabilidade mínima", explica. Os investidores que estiverem interessados pela aplicação devem procurar a Abyara Planejamento Imobiliário, pelo telefone 3888-3800; o banco Ourinvest, no telefone 253-6388; ou o site da Brazilian Mortgages (www.brazilianmortgages.com.br).Vantagens e desvantagensOs fundos imobiliários têm sido procurados principalmente por investidores que buscam a diversificação dos seus investimentos. Isso porque, durante uma fase da aplicação, o rendimento é fixo com a garantia de uma taxa de juros mais a correção por um índice de inflação. Posteriormente passa a ser uma aplicação de renda variável, pois o ganho vai depender da locação do imóvel que compõe a carteira.Para quem está interessado em entrar nesse mercado, os analistas recomendam atenção com a região onde está localizado o imóvel referente ao fundo, pois o ganho, depois da fase de rentabilidade mínima, vai depender do aluguel do imóvel. De acordo com analistas, as áreas mais nobres e com melhores expectativas de crescimento tendem a proporcionar rendimentos mais expressivos para os imóveis ali situados. A falta de liquidez nessa forma de aplicação, que se traduz na dificuldade em vender as cotas, é uma das queixas dos investidores. Vale lembrar que os fundos imobiliários são formados e comercializados até que todas as cotas sejam vendidas. Depois disso, para comprar ou vender cotas do fundo, o investidor terá que operar no mercado secundário, ou seja, entre investidores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.